Segunda-feira, 26 de Maio de 2008

aquilo que era único

Antes de o mundo entrar

O tempo era maior
Com noites claras e dias sonâmbulos
um tal ponteiro superior
uma crédula força regente
um tempo suspenso
um desejo pendente.
 
Antes de o mundo entrar
O espaço era menor
Tropeçávamos por querer
Atropelávamos quem ousasse
Perdidos de tão achados
No mesmo respirar, na mesma asfixia,
na mesma alucinação de fantasia,
 
Antes de o mundo entrar
Havia menos desespero,
Menos distancia e menos solidão  
Agora só um deserto de areias movediças
Uma multidão, um caos
um balão elevado de ar quente
Que arrefece, já mal se sente.  


 
 

Antes de o mundo entrar

Fazia inveja

Era segredo

Agora só resta o medo


solto por anacanela às 01:18
| comentar | favorito
3 comentários:
De J.C. a 26 de Maio de 2008 às 02:45
para admitir o medo ... tens que ter a coragem.
não tem que ser uma coisa má.

abraço


jmack


De shadow a 4 de Junho de 2008 às 15:24
cada palavra que escreve arrepia...

PARABÉNS ;)


De viaggiare in spagna a 25 de Agosto de 2010 às 12:15
Este texto bonito. escrever é uma terapia natural que nos ajuda não só para lançar luz sobre os problemas, mas também para superar


Comentar post

.essência

A vida é uma mão cheia de areia ... a escorrer por entre os dedos do tempo, e no nosso espaço interior cria dunas de poesia

.últimos grãos

. mea culpa

. ao fundo

. ...

. aquilo que era único

. entre vistas

. ...

. Um Par Im

. cor

. Sem pena

. respirar

.pelo areal

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

.subscrever feeds