Segunda-feira, 23 de Junho de 2008

ao fundo

-E o amor? 

-Ingrato, o amor comigo tem sido ingrato, acho eu.

-Ainda não houve a oportunidade de amar, ser amada?

Fez-me lembrar uma frase que fixei num filme: “O amor é uma questão de oportunidade.De se ter a oportunidade certa. De nada vale conhecermos a pessoa certa se for antes ou depois da altura certa”.

Tem sido assim o amor, uma oportunidade perdida e várias (outras) tentativas falhadas.

Amei muito da pior maneira que se pode amar: incondicionalmente.
Depois enamorei-me em réplicas desse amor, nunca tão intensas nunca tão autênticas. Depois de o perder agarrei-me a ele como se nunca mais, nenhum outro fosse ou pudesse ser igual.
Não há dois faróis num cabo, tu eras o meu farol, elegi-te, construí-te, inventei-te, e nunca, nunca te derrubei, mesmo quando me destruíste.

Mas hoje já não existes.

Ainda procuro a luz, ainda te visito, às vezes.

Estás lá,  podes estar lá, ao fundo, mas já não és...para mim o farol em que sempre acreditei.

 Se calhar já são só ruínas, à tona.
 

             

 


solto por anacanela às 01:22
| comentar | favorito
4 comentários:
De diana a 23 de Junho de 2008 às 18:28
Obrigada pelo teu comentário. Não são precisas grandes palavras para mostrar o que sentimos, as que disseste vou guardá-las com carinho. Também gosto muito do teu blog, já o leia antes, continuo a lê-lo. Bjinho


De shadow a 25 de Junho de 2008 às 23:52
Talvez o farol estivesse apagado na altura que o querias a iluminar-te... o farol como tu lhe chamas por vezes pode sentir mas nao iluminar, mas no dia que te sentir vai te iluminar como um sol!!!

Como diz o poeta: a luz nunca se apaga!!!


De Sandro a 26 de Junho de 2008 às 17:20
Mas é preciso ter presente que se continuares a navegar, outro farol vai acabar por te iluminar e te guiar.

Um beijo


De aroma a 27 de Junho de 2008 às 20:29
...pois sempre resta algo dessa coisa- "O Amor"- nem que sejam só ruínas, mas vão-se mantendo ao perto, ao fundo... mantendo...



Comentar post

.essência

A vida é uma mão cheia de areia ... a escorrer por entre os dedos do tempo, e no nosso espaço interior cria dunas de poesia

.últimos grãos

. mea culpa

. ao fundo

. ...

. aquilo que era único

. entre vistas

. ...

. Um Par Im

. cor

. Sem pena

. respirar

.pelo areal

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

.subscrever feeds